Arquivo da categoria: Uncategorized

Parabéns, Sport!

Parabéns ao Sport Club do Recife por seus 106 anos de vida, vitórias e muito amor. Aliás, parabéns a todos nós que formamos não só uma nação de vencedores, mas uma família rubro-negra.

Ah, aproveito para agradecer a todos que estão ligando, mandando emails e escrevendo no Facebook. Muito gentil, realmente o Sport merece 🙂

Anúncios

Retorno

Dessa vez eu passei do limite. Depois de irritar toda a minha timeline do Twitter, alunos, amigos e populares com pedidos para que entrassem no blog, passo exatos dois meses sem escrever nada.

Não sei o que aconteceu. Um monte de coisas boas – notas sobre o carnaval, filmes, temas jurídicos, filosofia – perdeu-se no caminho, e agora nem vou me aventurar a lembrar de tudo. No entanto, recomeçou a temporada 2011 de bobagens, agora cada vez menos comprometidas com minha (ex?) atividade como professor.

Aguardem! 🙂

#freeastronete

Hoje de madrugada, saindo para comer um pedaço de pizza no…Pedaço de Pizza, percebi que o Astronete, baladinha da R. Matias Aires, estava interditado, com uma parede de tijolos na frente. Achei que era engano meu, mas agora, no aeroporto rumo ao Recife, vejo essa notícia:

http://guia.uol.com.br/noite/ult10049u884054.shtml

Além de adorar o lugar, que ao lado do Studio SP é o espaço mais legal do Baixo Augusta (Bar do Netão é hors concours, todos sabem), começo a temer pelo meu bairro. O Astronete consegue aliar preço justo (R$ 15), público decente e música boa, não dá pra fechar assim.

Seguindo a sugestão da dona, lanço a campanha #freeastronete, minha primeira ação cívica em prol de São Paulo (sim, porque pedir doação de ouro está meio demodé). Divulguem 🙂

E rumo ao Carnaval!

Dicionário de Pernambuquês

Já em clima carnavalesco de regresso – temporário… – a Recife e Olinda, compartilho com os leitores não iniciados esse resuminho do pernambuquês, nosso pequeno vernáculo do coração. O cara é muito engraçado e tem um sotaque bastante honesto, desses que a gente só usa quando está lá.

Para um aprofundamento nessa arte linguística, sugiro a leitura do “Minidicionário de Pernambuquês”, de Bertrando Bernardino, editado pela Bagaço.

La Virgen de Copacabana

Hoje, dia 02 de fevereiro, é comemorado na Bolívia e em toda a América Latina o dia da Virgem de Copacabana. A devoção iniciou-se em 1583 na cidade de Copacabana, às margens do lado boliviano do Lago Titicaca, e espalhou-se pelo mundo. Em virtude de uma capela destinada à Virgem no Rio de Janeiro, foi batizada a Praia de Copacabana. Há mais informações aqui.

Infelizmente não pude ir, como pretendia, às festividades em Copacabana, nem subir o Cerro Calvário. No entanto, faço minha homenagem sincera à Virgem, a quem recorri em minhas orações e fui atendido, especialmente com meu ingresso na Defensoria Pública da União.

Sei que esse post é bastante diferente dos demais deste blog. Peço que seja entendido como uma homenagem a todo o povo católico latinoamericano, sem qualquer propósito proselitista. Quem me conhece sabe que raramente falo disso. Fica aqui o testemunho da minha fé.

De volta (?)

Depois de um período muito intenso e um mês de descanso, o blog volta com força total, cheio de novidades, blá, blá….

Não dá pra prometer nada, mas eu quero de fato que 2011 seja um ano produtivo também no meio virtual. Noto que, com a minha distância física – jamais afetiva – do Recife um monte de gente fica sem notícias e parece até que eu desapareci. Agora, estou aqui.

Vou programar alguns posts para essa semana e tentar manter o ritmo. Se não der, não deu…

 

 

Malvados e o direito