Torquato Neto na Bienal

Fui no feriado dar uma volta pela Bienal de Arte de São Paulo e, por um absoluto acaso, tive em minhas mãos um volume da primeira edição do Últimos dias de Paupéria, coletânea de textos jornalísticos, manifestos e poesia do GÊNIO, em maiúsculas, Torquato Neto. Talvez o organizador da instalação, uma espécie de biblioteca viva com cadeiras e portas para espaços secretos, nem lembre dessa preciosidade.

Verdadeiro marco do tropicalismo, o piauiense Torquato mereceria muito mais loas que a glorificação quase que exclusiva de Caetano e Gil como ícones do período. Se algum outro admirador aparecer por esse post, podemos começar uma conversa boa sobre vida e obra.

Por enquanto, e como sempre na correria, mando apenas um registro meio ruinzinho de Gal Costa cantando Mamãe, Coragem. Infelizmente não achei no Youtube a versão clássica dela, de 1968.  Vai também a letra.

Mamãe coragem

Mamãe, mamãe, não chore
A vida é assim mesmo
Eu fui embora
Mamãe, mamãe, não chore
Eu nunca mais vou voltar por aí
Mamãe, mamãe, não chore
A vida é assim mesmo
Eu quero mesmo é isto aqui.

Mamãe, mamãe, não chore
Pegue uns panos pra lavar
Leia um romance
Veja as contas do mercado

Pague as prestações
Ser mãe
É desdobrar fibra por fibra
Os corações dos filhos
Seja feliz
Seja feliz

Mamãe, mamãe, não chore
Eu quero, eu posso, eu quis, eu fiz
Mamãe, seja feliz
Mamãe, mamãe, não chore
Não chore nunca mais, não adianta
Eu tenho um beijo preso na garganta

Eu tenho um jeito de quem não se espanta
(Braço de ouro vale 10 milhões)
Eu tenho corações fora peito
Mamãe, não chore
Não tem jeito
Pegue uns panos pra lavar
Leia um romance
Leia “Alzira morta virgem”
“O grande industrial”

Eu por aqui vou indo muito bem
De vez em quando brinco Carnaval

E vou vivendo assim: felicidade
Na cidade que eu plantei pra mim
E que não tem mais fim
Não tem mais fim
Não tem mais fim

Anúncios

3 Respostas para “Torquato Neto na Bienal

  1. Rafael Almeida

    Vale dizer que “Cajuína”, foi feita em razão do suicídio do mesmo, logo após uma visita do Caetano aos pais do Torquato Neto em Teresina. Bela canção!

    • direitoesubjetividade

      Valeu pela lembrança, Rafael. Preciso me concentrar mais na leitura sobre Torquato Neto, é uma admiração de uns 15 anos. Vem post com Cajuína ainda hoje, espero.

  2. marcos aurélio

    grande torquato! “só preciso saber no que pode dar certo, não tenho tempo a perder!”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s